Sinterp-MT busca solução para sanar dívidas herdadas pela Empaer

As dívidas herdadas pela Empaer-MT foram discutidas pelo Sindicato dos Trabalhadores da Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Pública de Mato Grosso – Sinterp-MT, no Centro Regional de Pesquisa e Transferência de Tecnologia no município de Cáceres- MT, sábado 26/5.

Na ocasião, foi esclarecida a situação de endividamento atual da empresa e, em seguida, houve relatos dos funcionários. O técnico em agropecuária Milton Antônio da Silva, locado no escritório de Mirassol D´Oeste, falou sobre o constrangimento ao atender os clientes do PRONAF que há muitos anos fazem projetos com a empresa e hoje tem que orientá-los a procurar assistência técnica particular concorrente, decorrente da não renovação do convênio com o Banco do Brasil S/A; inclusive tem em mãos a ata de aceite do assentamento Silvio Rodrigues para fazer as DAP’s e o PRONAF A de 160 famílias e mais aproximadamente 40 projetos de investimento de PRONAF Mais Alimentos, além de Cadastros e projetos de Custeio.

A técnica Maria da Conceição Saminêz Silva relatou que o escritório de Mirassol D´Oeste estava há mais de 10 anos com apenas dois técnicos e, neste ano, como a equipe está maior, com mais uma técnica, uma agrônoma e um turismólogo, “poderemos atingir maior número de produtores rurais”.

Foi programado o atendimento a 900 beneficiários neste município, e, para cumprir a programação para o ano, estavam ocorrendo muitas visitas, cursos e reuniões de motivação e orientações a respeito de hortas domésticas, DAP, crédito rural e turismo rural, além de outras reuniões nos 23 grupos de mulheres rurais.

Nestas reuniões, afirmou a técnica, contavam com a presença do representante da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e do gerente de crédito do Banco do Brasil, mas, ao ser divulgado a não renovação do convênio com o banco, houve grande constrangimento e desmotivação.

Ela falou também a respeito das condições precárias do prédio do escritório central da Empaer, em Cuiabá. Em seguida, o deputado Leonardo demonstrou seu apoio, mostrando disposição a buscar solução para os problemas da empresa. Dando sequência, o técnico do escritório de Figueirópolis, Elso Procópio da Silva, e o técnico do escritório de São José dos Quatro Marcos, Amadeus Pereira da Silva, falaram também das dificuldades sem a renovação do convênio, que os produtores estão se afastando da empresa e que nunca havíamos ficado sem este convênio. A veterinária do escritório de Araputanga, Laura Peixoto de Arruda, afirmou que sem as certidões, além de não podermos fazer os projetos para o Banco do Brasil, não temos como buscar programas para os produtores rurais.

O turismólogo de Mirassol D´Oeste, Robson Júnior, disse que precisamos de condições e estrutura para trabalhar, “não queremos só receber o salário e sim contribuir para a melhoria da vida dos nossos produtores rurais”.

Estiveram presentes os empregados da EMPAER, o presidente do sindicato, Gilmar Brunetto, o deputado estadual Dr. Leonardo, o Presidente do Sindicato Rural de Cáceres, Jeremias Pereira Leite, Coordenador Regional José Antônio Gonçales, Marivaldo dos Reis Lima. (Por (Marribe Síria Cardena – Técnica em Agropecuária – Mirassol D´Oeste).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × dois =